Filosofia de Vida
Vida Saudável e Bem Estar

Em resumo, a frequência dos encontros é perdida e a satisfação íntima é menor! Isto é sugerido por um estudo da Universidade de La Trobe, na Austrália, que sugere que 54% dos homens e 42% das mulheres acreditam que sua sexualidade como casal é ruim.

Tudo muda…

Por que o sexo “bom” geralmente desaparece, mesmo para casais com maior estabilidade emocional? A partir dessa questão, a terapeuta Esther Perel revela algumas razões pelas quais a sexualidade não amadurece, assim como a relação.

1. Você não percebe que o desejo precisa de espaço!

A maioria, quando inicia um relacionamento, o faz acompanhada desses dois verbos: o amor é “ter” e o desejo “querer”. Busca neutralizar as tensões, querer a proximidade, conhecer o ser para amá-lo e possuí-lo não só do corpo, mas também de seus pensamentos. No entanto, a paixão requer espaço como indivíduos.

2. Você deixa de ser você

Seu parceiro parece mais atraente quando está cercado por seus amigos ou quando faz algo que a satisfaça? Não é o contexto ou quem o rodeia, é que é novamente uma pessoa com diferentes gostos, desejos e necessidades. Essa distância é essencial para gerar uma atração erótica.

3. Auto-exploração

Antes de começar com qualquer casal que você reconheceu e explorou sua própria sexualidade, então por que você parou de fazer isso? Para dizer ao outro que você gosta deles ou como eles devem inovar na intimidade, eles precisam começar com cada um deles. Se este não for o caso, então o desejo está desaparecendo.

O homem precisa aprender a explorar o corpo feminino para conseguir fazer uma mulher gozar.

A sexualidade vai além do coito e a reprodução é uma manifestação emocional e física que contribui para o desenvolvimento integral do ser humano. Não deixe de lado, aproveite!

Por quê? Ao longo dos anos, os membros da relação deixam de procurar tempo para fazer sexo. Esta “escassez” faz com que o casal se sinta insatisfeito com esta parte da sua vida “, concluem os pesquisadores do estudo, que foi publicado na National Library of Medicine do National Institutes of Health.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *